Residência médica: pós-graduação com padrão ouro

Modalidade de pós-graduação, a residência médica foi criada para garantir que os profissionais recém-formados pudessem receber a qualificação necessária para atuar como especialistas nas variadas áreas médicas. Essa decisão teve intuito de assegurar que os novos médicos fossem capazes de realizar um atendimento com alto nível de excelência.

Em 1977, o decreto nº 80.281 regulamentou e criou a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), que passou a ser responsável por avaliar e aprovar a criação desse modelo de pós-graduação nas instituições médicas. Considerada como “padrão ouro” da especialização, essa é a única modalidade de pós-graduação que confere ao médico o título de especialista.

Por dentro da residência médica

Esse modelo de pós-graduação é realizado dentro das principais instituições médicas do país. Dessa forma, o recém-formado é inserido no ambiente referente à especialização que escolher, onde acompanha casos reais e enfrenta os desafios do dia a dia da profissão. Os residentes recebem orientação direta de profissionais que acumulam conhecimento prático e acadêmico. As aulas acontecem tanto dentro da sala de aula quanto nos corredores e quartos onde os professores (mestres, doutores e pós-doutores) realizam o atendimento médico. Por demandar dedicação integral dos médicos, o governo fornece uma determinada quantia para ajudá-los a se manterem enquanto realizam a especialização. O valor da bolsa-residência atualmente é de R$ 3.330,40, tendo a última correção em 2016.

Por que
fazer residência médica?

Ao terminar a graduação, os recém-formados possuem três caminhos a seguir: atuar como médico generalista em hospitais, consultórios, clínicas e unidades de emergência; continuar a vida acadêmica em uma pós-graduação ou realizar uma especialização. O médico pode se tornar especialista de duas formas, prova de títulos e residência médica. No entanto, apenas a última garante que o profissional passe por uma preparação que une alto nível de conhecimento teórico, prática do dia a dia da profissão e o privilégio de absorver conhecimento de alguns dos melhores médicos especialistas.

Como funciona o processo seletivo para a Residência Médica?

Devido à dificuldade do exame e nível dos concorrentes, estar por dentro da prova de residência médica é essencial para conseguir a aprovação. O processo seletivo é composto de três partes: exame (escrito e em algumas instituições também prático), análise curricular e entrevista pessoal. As duas últimas fases só têm peso em caso de empate, porém, como o nível dos candidatos é bastante alto, é importante dar a devida atenção a todas as etapas.
O processo seletivo não é uniforme em todas as instituições, principalmente a primeira etapa. Enquanto alguns lugares exigem apenas a prova escrita, em outros o exame prático pode representar até 50% da prova. Por isso, antes de qualquer decisão, é fundamental buscar informações sobre como funciona o processo seletivo para a instituição a qual deseja realizar a residência médica.
O exame escrito cobra os seguintes temas: pediatria, clínica cirúrgica, ginecologia e obstetrícia, clínica médica e epidemiologia. As perguntas são divididas em questões de múltipla escolha e dissertativas, e embora não seja uma regra, normalmente possuem três níveis de dificuldade. O peso das questões é mais ou menos parecido, tendo as mais difíceis um valor ligeiramente superior. A prova prática, quando exigida, tem o objetivo de testar à perícia dos candidatos na execução de procedimentos médicos. Para ter sucesso nessa etapa, é importante atentar-se aos detalhes da atividade a ser realizada.

Como se preparar para a prova de Residência Médica?

Se você respondeu mentalmente a essa pergunta dessa forma: “enfiar a cara nos livros e estudar bastante”, está redondamente certo! Mas, devido ao nível da concorrência, apenas essa atitude pode não ser suficiente para garantir a sua vaga no programa. Por isso, oferecemos cursos preparatórios para o exame.

Por que fazer um
curso preparatório
para residência médica?

A complexidade do processo seletivo e alto nível dos concorrentes faz com que seja essencial a realização de uma preparação adequada para conseguir sua vaga na residência médica. Embora a disciplina e dinâmica de estudos que tem aprimorado desde a época do cursinho sejam fundamentais para esse momento, só enfiar a cara nos livros de medicina não será suficiente.
Para ajudar os médicos que desejam realizar a especialização, nós desenvolvemos cursos preparatórios para residência médica focados no tempo disponível até a prova. O conteúdo disponibilizado foi selecionado de acordo com a incidência dos temas nas provas dos últimos cinco anos. Além disso, temos professores qualificados para auxiliá-lo durante a preparação, e simulados com questões que caíram nos exames das principais instituições médicas do Brasil.

Baixe grátis!


Guia Estatístico das Provas de Residência Médica - Medcel

Guia Estatístico das Provas de Residência Médica

Guia Estatístico das Provas de Residência Médica - Medcel

Guia do Residente - Medcel

Guia do Residente

Guia do Residente - Medcel

Miniguia de Estudos - Medcel

Miniguia de Estudos para Residência Médica

Miniguia de Estudos - Medcel

Conheça os cursos preparatórios de Residência Médica da Medcel


Curso Extensivo - Medcel

Este curso é ideal para quem vai prestar prova para Residência Médica e precisa de uma preparação completa sobre os principais temas cobrados nas provas de R1 - Acesso Direto.

Curso Extensivo Programado - Medcel

Ideal para estudantes do 5º ano de Medicina, este programa de estudos distribui durante 2 anos uma grade completa de preparação para as provas de R1.

Curso Intensivo - Medcel

Esteja preparado em apenas 3 meses! No Intensivo você estuda com conteúdo objetivo, aulas com precisão nas explicações e ampla base de questões explicadas.